E DE REPENTE 30 E … POUCOS

26/08/16 | Roberta de Angelis | Inspiração

Será que existe idade ou momento adequado para nos empoderarmos de nós mesmos? Quando eu tinha 12 anos, acreditava que chegar aos 14 seria um divisor de águas e que daí em diante seria uma adolescente, poderia ter minhas manias e rebeldias, acredito que nada tenha mudado nesses dois anos passados entre uma temporada e outra.

Fazer 18 anos de idade para muitos é um título de independência, afinal nos tornamos “de maior” perante a lei e diante de nossos egos ainda crianças, porém sedentes por sermos vistos externamente por adultos.

Afinal aos 20 e poucos anos nada mais importa, senão a liberdade de sermos e sonharmos com tudo que pudermos e desejarmos, isso sim pode-se dizer que traduz-se em verdade em uma carta de alforria, liberdade das amarras de ideologias, preconceitos e padrões, todos nós, por algum momento, um único dia que seja aos 20 e poucos foi completamente livre, nas farras com os amigos, nos sonhos profissionais ou nos delírios de uma nova paixão, aquele que foi o ideal do amor perfeito e eterno. Uma época em que temos certeza que sonhar é sinônimo de realizar.

A imagem dos 30 chegando é para muitos um maior divisor de águas, a miragem da vida adulta, a utopia de que aos 30 teríamos tudo resolvido dentro de nós e ao que nos poderia nos tornar realizados; todos os sonhos e ideais imaginados aos 20 e poucos deveriam estar sendo vivenciados neste agora que antes parecia tão distante.

Desculpe aos que ainda não chegaram lá, não percam as perspectivas e não deixem de sonhar, e aos que chegaram devem entender, que aos 30 nenhuma revelação ou transformação vital lhe ocorreu, a maioria não encontrou ainda o amor de suas vidas, não esta casado com filhos, cachorro e quintal, a maioria não é diretor de uma grande corporação ou ganhou o prêmio Nobel por uma descoberta que salvou milhões de vidas.

Você não esta tão “velho” como pensou que estaria aos “…inta”, nem consegue mais emagrecer com a mesma facilidade que ocorria aos 20, você não se tornou uma pessoa melhor ou diferente aos transpor a barreira dos 30, isto você pode fazer em qualquer idade, só depende de algo que esta contigo deste o início, sim o início de tudo, desde seu primeiro choro fora do útero da mamãe.

Fazer aniversário, trocar de ano, mudar as estações, todos são instantes, momentos temporais que devem ser encarados apenas e tão somente como o caminhar; o que faz deste tempo que se passa, destes instantes que viram passado de uma hora para outra algo chamado Viver; é justamente como podemos nos empoderar deles criando histórias, personagens e enredos.

Para isso devemos ser sempre os protagonistas de nossas próprias histórias, exercer este papel é missão das mais difíceis, e muitos tentam e não conseguem, pois nos cobramos demais, nos dedicamos demais, nos escravizamos demais, tentamos demais e nos decepcionamos demais. Saiba que ninguém pode fazer nada disso por você, ser feliz, triste, pleno ou incompleto cabe apenas a sua postura diante de si mesmo.

Por isso se mudar totalmente os rumos de sua existência é uma opção; se jogue sem medo de errar; se sonhar no mundo real um sonho de infância te parece plausível…realize, seu maior crítico em tudo deve ser você, não tenha medo do que os outros irão pensar.

Os maiores realizadores de grandes coisas foram personagens que acreditaram em seus sonhos e que tentaram inúmeras vezes, sofreram a decepção do erro outras tantas, se amedrontaram diante da possibilidade de errar novamente e assim aconteceu, mas experimentaram a doçura indescritível de terem vencido e conseguido na plenitude de seus “eus” viverem a si mesmos.

Saiba nunca é tarde para mudanças, e este tempo não tem nada a ver com idade, e sim com aquilo que você quer; não importa o que sua família, amigos, sociedade ou humanidade pode achar correto, desde que te faça sentido, apodere-se do seu momento.

Hoje ao completar 32 anos de idade tenho os mesmos sonhos e ideais que tinha aos 12, lógico a ótica em que consigo enxergar estes sonhos sendo materializados em minha vida é totalmente diferente e isto significa que caminhei, mas que na essência sou o que sempre fui.

De 27 de Agosto sou virginiana de tempo, lua, ascendência, descendência, alma e coração; honestidade e sinceridade demais nos acompanham; bem como a exigência pela evolução contínua e a superação dos obstáculos que nos colocam à frente.

As raízes são as referências que buscamos desde crianças, por isso ouvir as histórias que nossos avós nos contam na infância, mesmo que fantasiosas são tão importantes para nossa formação como pessoas; esse enraizamento pode ser essencial para que no decorrer de nossas vidas possamos nos empoderar de nós mesmos, e criarmos nossas próprias e verdadeiras histórias.

Qual a sua reação?

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
3

Deixe um comentário