Identidade Cultural da Gastronomia Latino Americana

04/12/15 | Roberta de Angelis | Cultura e gastronomia

Tentar entender os rumos de nossas histórias, deve necessariamente passar pela revitalização de nosso passado, todos nós temos nossas histórias remotas e presentes, mas as marcas do mundo em que vivemos é reflexo direto de uma história um pouco mais distante e esquecida com o tempo.

Os Países da América Latina passaram por transformações similares, mesmo que comportando civilizações antepassadas diversas entre si e o Brasil tendo passado por um período de colonização lusitano um pouco diverso da colonização hispânica do restante do Continente.

Grandes foram os trunfos destas civilizações que foram destruídas ou definitivamente colocadas ao esquecimento das futuras gerações, mas que a nosso ver, nessa esperança persistimos, não tenham morrido por completo, podendo ter a chance de serem revitalizados e agregados às nossas sociedades atuais.

Na história do Brasil fomos marcados cultural, economicamente e socialmente por uma corrente imigratória muito intensa, principalmente de imigrantes europeus, por esta razão os grandes centros urbanos se fizeram na comunhão desses vários povos e suas tradições; as populações indígenas já em muito dizimadas pelo efeito colonizador, permaneciam esquecidas nas florestas, como muitos insistem em esquecê-las.

Diante desse marco civilizatório é que muito das nossas influências gastronômicas foram se formando, e esta é sim uma das razões que a culinária Francesa e Italiana tem grande exposição no Brasil; que a culinária Japonesa atingiu status de moda virilizada e a “nova” comida brasileira carregada de todas estas influências formou referências e busca cada vez mais incluir as tendências externas aos pratos, aos restaurantes e a formação de chefs.

Mas a par do que ocorreu no Brasil, e também Argentina e Uruguai em especial que tiveram um processo de formação civilizatória parecido, alguns outros Países da América, hoje Latina ou do Sul, e antes nem mesmo América era, especialmente PERU e Bolívia, foram marcados pela resistência indígena campesina dos Andes frente aos influxos externos que chegavam logo com o processo de independência e buscavam a máxima modernização da economia, com exploração total dos recursos naturais.

Tais influxos culminaram com a devastação dos territórios antes ocupados por essas populações tradicionais, que ali viviam da subsistência do ambiente em que viviam e a perda de suas referências identitárias culturais.

Ocorreu verdadeira expulsão desta população destes polos rurais, o que ocasionou uma migração interna intensa, propagando a pobreza nas periferias dos centros urbanos, e devastando os costumes e tradições destes povos; por estas razões presenciamos maior presença indígena nas cidades de Peru e Bolívia.

E é por esta razão também que no Brasil desconhecemos muito as tradições gastronômicas de alguns de nossos vizinhos, estamos por desperdiçar além de comidas e pratos fantasticamente saborosos, a integração de ingredientes riquíssimos em sabor e valor nutricional, obtidos ainda pelos conhecimentos tradicionais dos povos nativos.

É por isso que iniciaremos uma jornada de experimentações e aventuras, tentando explorar inúmeras receitas tradicionais latino americanas, tentando enaltecer os ingredientes a serem utilizados e mais do que importante resgatar por meio dessas comidas as histórias e essa cultura vital para nosso desenvolvimento.

Gostaria de contar com a colaboração de todos aqueles que também se importam com nosso passado, nosso futuro, e que desejam fazer alguma coisa no presente.

Para tanto vou iniciar com a experimentação e trarei todas as receitas e os resultados, trazendo vários pratos que utilizam matéria prima que além de serem deliciosas, são fundamentais para o desenvolvimento sócio cultural e econômico de várias regiões dos Países que formam nosso Continente. Tais quais, o milho, as batatas nativas, amendoim, banana da terra, abóbora, feijões entre tantos.

Quero que essa viagem seja fruto das histórias daqueles que têm suas raízes e corações nessas culinárias, que tragam suas receitas, seus “segredos”, que sejam atores nessa reconstrução do nosso passado, tesouro ao presente das nossas futuras gerações.

Vamos iniciar com uma receita típica Boliviana, da Região Oriental, vinda de Santa Cruz de La Sierra – o MAJADITO, quem conhece? quem vai compartilhar uma receita especial? ou até mesmo uma história sobre esse prato?

 

campesinas

Qual a sua reação?

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
2

Deixe um comentário