RAÍZS – STARTUP DO BEM E DE VERDADE

05/09/16 | Roberta de Angelis | Vida Orgânica

O Projeto RAÍZS nasceu da concepção natural da necessidade de reconexão com os pequenos produtores de alimentos orgânicos e a essencialidade da melhoria da qualidade da alimentação.

Sendo assim, de forma cooperada busca conectar consumidor urbano e pequeno produtor, criando vínculos por meio de orgânicos e facilitando a inclusão no sistema de compra da cidade.

raizs

A startup estimula o comprador a conhecer a história dos alimentos, valorizando o trabalho de quem produz :

O negócio social já conectou 39 famílias, 200 consumidores recorrentes e entregou mais de 2 toneladas de alimento orgânico.

A recém-lançada plataforma RAÍZS é um negócio social que convida moradores dos grandes centros urbanos a repensar a relação do consumo de alimentos, propondo uma reconexão entre quem compra e quem produz.

Para além de um e-commerce de orgânicos (www.raizs.com.br), a plataforma dá a oportunidade do consumidor conhecer a origem dos alimentos e quem os cultiva, gerando empatia e a valorização do trabalho do pequeno produtor.

A ideia é aproximar o consumidor às histórias dos produtores, seja por meio dos alimentos que vem com foto e texto identificando a família produtora ou depoimentos registrados no local de trabalho dos produtores e disponíveis em vídeo na plataforma online ou ainda pela tipografia do logo da RAÍZS – escrita pelo punho dos próprios produtores.

Em setembro deste ano, a RAÍZS pretende estreitar ainda mais essa relação lançando o programa de visitas ao produtor, que será uma oportunidade para o consumidor vivenciar uma realidade diferente de seu dia a dia.

Da visita à horta ao cafezinho passado na hora pela família, o visitante poderá compartilhar momentos de prosa e aprendizado, observando aspectos como a diferença de ritmo, cuidados necessários para a produção do alimento orgânico, a rotina no campo e até mesmo a diversidade cultural, trocando opiniões, sentimentos e impressões sobre o mundo em que vivemos.

Com isso, o negócio de impacto social pretende criar laços e extrapolar a relação de compra e venda, abrindo espaço para a troca de conhecimento ao tangenciar temas como consumo consciente, sustentabilidade, alimentação saudável e agricultura familiar.

 Da horta para a mesa

 Além de saber quem produz o alimento, ao utilizar a plataforma online, o consumidor tem a garantia de qualidade e frescor dos alimentos, já que todas as hortaliças e grande parte dos produtos são colhidos somente após o clique do comprador, chegando à sua mesa em média em até 24 horas. Nesse sentido, a RAÍZS utiliza a tecnologia como aliada para reduzir o desperdício a quase zero, trabalhando com um estoque mínimo.

O consumidor pode optar pela compra de produtos orgânicos separadamente ou em formato de assinatura mensal de cestas, disponíveis em três tamanhos diferentes.

A startup já atende algumas empresas parceiras, onde entrega os produtos com frete gratuito.

Quando a empresa se torna parceiras da RAÍZS ela estimula a criação de uma cultura organizacional que zela pela qualidade e procedência do alimento. É uma maneira contribuir para a valorização de quem produz, para a saúde do colaborador e possibilitar um consumo consciente e prático, já que o funcionário sai do trabalho com a feira na sacola”.  Explica, Bruno Rebouças – sócio da RAÍZS.

Fundo do Pequeno Produtor: protagonismo e empoderamento

Outro ponto fundamental para a RAÍZS é estimular o protagonismo dos produtores de sua rede. Pensando nisso, a startup criou o Fundo do Pequeno Produtor e destina 10% de seus resultados financeiros a essa reserva. Para composição do fundo também são somadas as doações de clientes realizadas na própria plataforma.

A proposta é redistribuir ou utilizar os recursos para a compra de insumos, capacitação e resolução problemas que impactem diretamente a vida do pequeno produtor. A decisão do destino do Fundo é tomada em conjunto com os produtores, a fim de gerar sentimento coletivo, empoderamento e a inserção nas tomadas de decisão da RAÍZS.

Por fim, a startup investe na comercialização de orgânicos para atrelar a saúde alimentar de consumidores urbanos à valorização do pequeno produtor, de modo a facilitar sua inclusão no sistema de compra de grandes cidades e gerar impacto positivo nas duas pontas da cadeia.

A frente da RAÍZS estão dois jovens de trajetórias diferentes mas ideais muito parecidos. O fundador, Tomás Abrahão, tem 25 anos, foi consultor de estratégia e sustentabilidade, e trabalhou em Bangladesh no Grameen Bank, Nobel da Paz, com Muhammad Yunus (Banco dos Pobres). Lá teve contato com negócios sociais no Yunus Social Business Center. Após essa experiência, viajou por Ásia e América Latina por quase um ano, observando sempre a maneira como as pessoas se relacionam e se alimentam.  Ao voltar para o Brasil, em 2014, Tomás idealizou a RAÍZS como um negócio social onde o alimento é o ponto de conexão entre pessoas, criando vínculos e gerando um impacto social real na vida de pequenos produtores e consumidores.

Bruno Rebouças, tem 24 anos, estudou Estratégia Global & Comunicação na Era Digital no MIT – Massachusetts Institute of Technology, em Boston, e trabalhou na gigante Google (Brasil e México) durante 3 anos. Bruno decidiu deixar a multinacional em 2016, para se tornar sócio da RAÍZS, motivado pela oportunidade de ajudar a alavancar um projeto que valoriza pessoas por meio da alimentação, além de possibilitar uma mudança na forma com a qual as pessoas se relacionam com o consumo.

Lançada em maio de 2016, a plataforma foi idealizada e testada durante os anos de 2014 e 2015. Nesse período, o fundador Tomás Abrahão, visitou pessoalmente pequenos produtores, no interior do estado de São Paulo e mapeou famílias produtoras de orgânicos e suas histórias.

Formada a rede dos primeiros produtores que integrariam a RAÍZS, foi realizado um crowdfunding que mobilizou 204 doadores e levantou R$25.000,00 para custear as primeiras despesas de estoque e plataforma.

Em três meses de funcionamento a plataforma conectou uma rede de 39 famílias, mais de 200 consumidores recorrentes e já entregou mais de 2 toneladas de alimento orgânico.

A maioria dos produtos vendidos na plataforma provém de agricultura familiar, além de marcas de orgânicos que pegam carona com a RAÍZS, sendo que sempre 10% do rendimento da empresa é destinado ao Fundo do Pequeno Produtor.

Mais sobre quem faz a RAÍZS

O fundador da RAÍZS, Tomás Abrahão é paulistano, tem 25 anos e é bacharel em Ciência e Tecnologia e Engenheiro de Gestão pela Universidade Federal do ABC. Durante 8 anos foi professor voluntário de história e sociologia no projeto de Educação de Jovens e Adultos (EJA) e professor convidado da Universidade de Havana. Trabalhou em Bangladesh no Grameen Bank – criado pelo Nobel da Paz Muhammad Yunus e teve contato com negócios sociais no Yunus Social Business Center.

Bruno Rebouças é piauiense, Administrador de Empresas pela UnB em Brasília, cursou Comunicação Digital no MIT, em Boston, e Administraçãode Negócios Internacionais na Alemanha, no European University Viadrina Frankfurt (Oder). Bruno trabalhou em grandes empresas como Google Brasil e México e Santander Brasil, viajou pelo mundo durante 1 ano e fez trabalho voluntário na Argentina. Em 2016 deixou sua carreira no Google para se tornar sócio da RAÍZS.

Qual a sua reação?

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
4

Deixe um comentário