SONS QUE VEM DO CORAÇÃO

09/07/16 | Roberta de Angelis | Inspiração

Todos nós temos músicas que nos inspiram, que nos libertam ou que simplesmente nos transportam a momentos de nossas vidas, que marcam épocas, ou que nos fazem sentir novamente a presença de certas pessoas. As músicas podem ser instrumentalização de nossos sentimentos.

Os sons e músicas que podem ser lembranças vívidas para podermos sentir novamente o gostinho de algo que vivemos com intensidade e em nossa alma ficou marcado. Pela música conseguimos reproduzir gostos, cheiros, sensações de momentos que nos marcaram para uma vida toda.

Eu mesmo, as épocas marcantes de minha vida são enredeadas por trilhas sonoras, que tornaram-se a única referência de minha saudade guardada, e de minha revivificação cotidiana; aos 14 anos, nutrindo o sonho da liberdade total, tinha certeza que pela forma como podia ouvir a rádio com a porta do quarto trancada, aquele era meu momento de conquista dessa liberdade.

Aos 16 anos, quando os 14 pareciam apenas um reflexo de uma infatilidade perdida; ao som de Pearl Jam imaginava que deveria ser tudo aquilo que almejava, e que o mundo poderia também ser reflexo dos meus ideais internos, foi quando meus pais me deram o maior tesouro que conquistei, a confiança de viver sozinha em outro País, lá encontrei a música que me dava a paixão necessária para voar em meus pensamentos e formar meus ideais como pessoa.

A paixão pelas músicas do U2 , que àquele tempo já eram clássicas, e que para mim eram verdadeira descoberta, descoberta de uma pessoa que apenas estava se formando, muitas foram as viagens de trem ou de ônibus cruzando as paisagens da Inglaterra, sonhando, criando e almejando um mundo ideal, que hoje se transporta pelas minhas veias para se transformar em palavras e reflexos dos meus melhores anseios.

Todos os pagodes de república nos tempos de faculdade, que marcaram tempos de alegria, de esperança de algo que estava por vir, mas que ainda não era chegado ainda, a vida a adulta, e suas responsabilidades.

Amo, e amei sempre a sonoridade da língua espanhola cantada, sonoridade que me empolga a explorar as minhas mais guardadas paixões, a sentir e a imaginar lugares nunca antes chegados.

Esta língua que sempre encantou minha avó -mãe, que me pediu para entrar no dia do meu casamento com “Por Una Cabeza” Tango de Carlos Gardel, referência marcante do filme Perfume de Mulher; e com muito amor seu desejo foi realizado, tornando este momento eternizado em nossas memórias; mulher que recorda do grande amor da sua vida com “Recuerdos de Ipacaraí”.

Com o amadurecimento, e o descobrimento do amor verdadeiro, fui romanceada pelo meu atual esposo, com um amor sereno e aconchegante, ao som de Roberto Carlos, onde nossos detalhes tão pequenos eram “se um outro barrigudo aparecer em sua rua”…. o cabeludo fica para uma outra vida.

Os sons, as letras e a musicalidade de cada uma dessas canções me remontam a momentos, pensamentos, sonhos e planos, que já foram realizados, aqueles que ainda hão de ser ou aqueles que foram deixados pelo caminho da vida.

É muito bom quando alguma coisa, como a música nos concede o privilégio de conhecer ou pelo menos por um instante estar mais próximo de pessoas que não tivemos o privilégio de estar ou conviver, a música tem este dom, de até reviver quem não mais vive entre nós.

Por isso Rita Lee me acompanha desculpando o AUÊ sempre, de uma pessoa que me conduz de uma forma ou outra, de uma forma ou de outra conseguindo identificar inclusive suas inseguranças… ” (…) que se dane o meu jeito inseguro, nosso amor vale tanto”.

Compartilhar as modas de viola com meu meu pai – avô é uma das coisas boas da vida, o que nos conecta, e oque o faz reviver suas histórias, e o que nos formou como família, muitas destas “modas” são verdadeiros relatos do que ele mesmo passou … “Alegre tenho saudade do tempo que vai ficando (…) Boi Soberano – João Mulato e Douradinho. Até Chico Mineiro, quantos Chicos, José, João passaram pela vida dele e deixaram suas marcas, cada qual com suas histórias, que mantiveram nossas noites de sono muito mais divertidas e cheias de sonhos de aventuras.

Quando seu nome tem história familiar o suficiente para seu pai Roberto se emocionar ao lembrar de você ouvindo a música “Roberta” de Pepino di Capri, essa música que inspirou meu nome… nome este que carrega muita emoção e reflexo do que o amor que recebi desde o primeiro dia de vida, amor que pode fazer um verdadeiro AUÊ em nossas trajetórias.

Nós somos verdadeiros artistas de nosso próprio show, o show de nossas vidas, e que bom que podemos criar nossas próprias trilhas sonoras.

E você qual música te lembra algo ou alguém, algum momento especial ou marcante, talvez um amor, um amigo querido , todos especiais e marcantes de sua vida?

A minha trilha sonora ainda esta em formação, mas já conta com muito amor e histórias para serem contadas:

1 – Black or White – Michael Jakson

2 – Daughter – Pearl Jam

3 – Pride – U2

4 – Onde – U2

5 – Beautiful Day – U2

6 – Deixa Acontecer – Grupo Revelação

7 – Por Una Cabeza – Carlos Gardel

8 – Recuerdos de Ipacaraí – Angela Maria

9 – Desculpe o Auê – Rita Lee

10 – Boi Soberano – João Mulato e Douradinho

11 – Chico Mineiro – Tonico e Tinoco

12 – Detalhes – Roberto Carlos

13 – Esse Cara sou Eu – Roberto Carlos

14 – Roberta – Pepino di Capri

15 – Canción con Todos – Mercedes Sosa

16 – Tente Outra Vez – Raul Seixas.

 

Qual a sua reação?

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
3

Deixe um comentário